Proposta para o evento da EMBAP

Texto baseado na mensagem enviada por "glerm soares" para a lista do GUD-BR-PR.

Reflexões iniciais

Então pessoal,

Estou abrindo novo post para explicar em detalhes como vejo ser a melhor configuração para a ação conjunta do embaplab orquestra organismo estudio livre debian-pr em função de trabalhar os conceitos relacionados a software livre, código aberto, propriedade intelectual x trabalho colaborativo e formação de comunidades em redes.

Em primeiro lugar gostaria de deixar claro ao grupo de usuários debian-pr que a ação que inicia-se *NA* EMBAP ( Escola de Música e Belas Artes do Paraná) é uma ação catalisada por indivíduos independentes, ativistas de uma classe artística articulada nacionalmente e globalmente. A Embap abriu espaço para um trabalho que eu já vinha fazendo ( sozinho e com o Estudio Livre), que o Matema e Orquestra Organismo(grupo e estúdio) já vinha fazendo (produção de audiovisual em COPYLEFT) e o Octavio Camargo ( que é Chefe de Departamento de Disciplinas Teoricas e Aplicadas da EMBAP e professor de 8 disciplinas na Embap) conseguiu iniciar uma dinâmica para tornar as aulas mais PRÁTICAS e mais MULTIDISCIPLINARES ( isto inclui a potencialidade que o projeto tem internamente para dialogar com artes plásticas). O software livre e a discussão em torno dele é um *MEIO* importantíssimo para criarmos esta dinâmica. Queremos *DESBUROCRATIZAR* e tornar a ação de alunos de artes mais *fluída* dentro do cenário artístico *REAL* e não apenas que sejam ensinadas técnicas de cartilha para ganhar um diploma no final.

Sinto que nos posts anteriores a principal confusão acontece quando esta ação é simplesmente identificada como uma " informatização da EMBAP usando software livre". Sim, a informatização da Embap vai acontecer, existe um projeto pela Fundação Araúcária de compra de computadores e etc. Se alguém tem interesse *exclusivamente* nesta ação, posso colocá-lo em contato diretamente com o Eloi, Silney e com a Solange, que estão mais a par da parte burocrática da licitação, projeto apresentado para a Celepar, prazos e etc. Sei que esta ação será de grande importância, mas tenho certeza que há algo muito maior e mais importante para se pensar anteriormente (inclusive para o sucesso de tal operação). É sobre isso que fala esta comunicação ( e é o eixo central das primeiras " palestras".

Então, definitivamente, deixo claro isto. O ESPAÇO é a Embap. Inicialmente. Mas os artistas vem de vários grupos e gerações. São articulados, mas autônomos. São os artistas ( e os alunos, ex-alunos e professores que TEM CONSCIÊNCIA desta sua condição ) que vão influenciar o "ensino da arte", o "mercado da arte" , a " EMBAP" e outras instâncias INTERIORES a esta comunidade, e não o contrário.

Falerei mais adiante de todos os grupos que já estão relacionados nesta ação. A comunicação será feita a todos eles. Se isto for levado com seriedade temos condições de dar força na cidade um movimento cultural que JÁ ESTÁ ACONTECENDO aqui ( e em outras cidades do Brasil já toma forma por exemplo com grupos como o Digitofagia, Midia tática, Re:combo e Media Sana, só pra citar alguns...)

Proposta do Evento

Quanto ao EVENTO, acredito na seguinte formatação ( que será detalhada abaixo):

( Os horários ficam sujeitos a discussão)

4 semanas aos sábados de agosto. Das 9:30 às 12:00 palestra. Das 16:00 às 18:00 - jam com músicos, performers, fotográfos, artistas plásticos e videomakers usando e registrando o processo com ferramentas livres. ( que pode ou não ser na Embap - o que na minha opinião é bastante interessante e torna o evento mais pulverizado)

Título do Evento: " Cultura Livre- Ferramentas Livres - Software Livre "

1a semana - "Como o Software Livre pode ajudar na articulação de um movimento Cultural?"

(Sugiro para esta palestra a Fabianne Balvedi - que ja está recebendo cópia desta mensagem).

2a semana - "O trabalho do EmbapLab, Orquestra Organismo e as ferramentas livres audiovisuais"

( Assumo a coordenação desta apresentação (Glerm) e convido a Karinna Buenno e o pessoal da Essei para demonstrarem seus trabalhos também).

3a semana - "Licenças de Uso comum e Compartilhado - novos paradigmas da propriedade intelectual"

( Sugestão para Mediador - Tati Wells, Midiatatica - Atualmente coordenando o Projeto Open Content Scan http://www.midiatatica.org/wakka/wakka.php?wakka=OpenContent ).

4a semana - "Install Fests e Comunidades Usuarias de Ferramentas Livres - A experiência do GUD-PR" * Este item é bastante importante para mostrar a convergência que pode haver entre o GUD-PR e o movimento cultural que usa as ferramentas livres, que é o que estamos fomentando nesta intenção. É interessente falar sobre as ferramentas que estão sendo utilizadas desde IRC, WIKI, Blogs, Jabber, até listas de discussão. Ferramentas de comunicação que serão usadas futuramente e etc. O exemplo de "autogestão" que acontece na distro Debian, sua filosofia ética também pode ser uma boa parábola para como isso pode ser útil aos artistas e como estas comunidades podem se ajudar. Seria muito interessante falar de como se organiza uma install fest, explicar o que é, e fazer uma chamada aos artistas para a colaboração na organização de um evento deste com foco nas ferramentas que eles podem utilizar. ( Acredito que Felipe é "O" cara para esta palestra).

5a semana - sugestão: ( Install fest) Temos um Ponto de rede conectado a internet, switcher de 24 portas, no mínimo uns 6 conjuntos de monitor teclado e mouse. Acredito que é logísticamente possível... Poderia haver um cadastramento limitando o número de máquinas para o que for viável.

Pontos a serem considerados

Dito isto, gostaria de identificar apenas alguns " agentes multiplicadores" em potencial que SÃO O PÚBLICO DE TAL EVENTO e que serão *os principais influenciadores* dos que tem sido tratados em algumas discussões como " leigos" (acho termo um pouco pejorativo - pressupõe uma necessidade e "fatalidade" de especialização "industrial" da sociedade que não tem sentido na era da " informação livre"). Algumas pessoas tem menos tecnofobia, outras mais - sempre. O que facilitará a vida do mais tecnofóbico é o momento em que seu amigo ( que pode OU NÃO ser "especialista" em informática) poderá copiar FACILMENTE os programas para este outro, explicando o que ele pode fazer em 3 ou 4 cliques. Mas reforço: o grande influenciado por tais " palestras" não é o tecnofóbico e sim o artista que já usa as ferramentas piratas, e provavelmente vai continuar usando até que tudo funcione para ele no mundo livre. Este cara NÃO É LEIGO!!! Muitas vezes ele tem a destreza em interfaces como Photoshop, Dreamweaver, Nuendo, ProTools, Sound Forge, Adobe Premiere que POUQUISSÍMOS USUÁRIOS *DAS INTERFACES SIMILARES LIVRES* TEM. Existe uma necessidade imediata de que estes usários migrem cada vez mais, para existir suporte DESTAS INTERFACES, para puxar mais demanda de desenvolvimento e alimentar e acelerar o ciclo... *Os usuários novatos não terao suporte satisfatório das interfaces enquanto este ciclo não "pegar"... O movimento cultural é um caminho para isto...* Outra coisa importantíssima, PRESTEM ATENÇÃO: é que geralmente, se o artista, apesar de ativo na produção, não tem apego pela ferramenta tecnológica ele provavelmente tem um "instrumentista" próximo que provavelmente se encaixa no perfil anterior, portanto, potencialmente, a coisa canaliza neste sentido...

Porque ele vai usar software livre então?? Porque o software livre pode ajudar a trabalhar com o conceito de "liberdade". Pode ser uma ferramenta eternamente compartilhada. Tem tudo haver com os novos paradigmas de trabalho colaborativo. Com as licenças de uso comum... É preciso mostrar as vantagens de largar essa "pirataria" para um trabalho EM COMUNIDADE. Um trabalho essencial para formatação de circuitos autônomos de arte.

Além disso, outro grande barato do software livre, são algumas interfaces minimalistas que fazem uma coisa bastante específica ( coisa que as " suítes proprietárias" não podem se dar ao luxo) e com isso te ensinam melhor a compreender o que você já estava fazendo ( e novos meios pra pensar isto)... Um grande exemplo disso no EmbapLab é o potencial do Pure Data, que todos os alunos demonstraram imensa curiosidade...

Isso sem falar no potencial de Metareciclagem.... que o próprio pessoal que cunhou o termo pode explicar bem a importância aqui: http://www.metareciclagem.org.

Pensem nestes "agentes multiplicadores" como uma comunidade que REALMENTE PRECISA das ferramentas livres, principalmente para dois motivos:

Referências:

Orquestra Organismo: http://organismo.art.br/embap/projetos_processo.html
Embaplab: http://organismo.art.br/embap/
Olido: http://www.marketinghacker.com.br/index.php?itemid=3237
Pontos de Cultura: http://converse.utopia.com.br/
Recombo: http://www.recombo.art.br/
Metareciclagem: http://www.metareciclagem.org/
Radio Muda: http://muda.radiolivre.org/
Estudio Livre: http://estudiolivre.utopia.com.br/tiki-index.php
Matema: http://organismo.art.br/matema
Act: http://www.act.art.br/
Interlux Arte Livre: http://organismo.art.br/blog/wp-images/flyerv.jpg flyerv.jpg
Situação: http://www.situacao.com.br
Casa de Cultura Tainã: http://www.taina.org.br/
Os Charlatões: http://www.jornaldoestado.com.br/040923/espaco_2/espaco001.htm
Espaço Umbigo: http://www.curitibainterativa.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=5199
Upgrade do Macaco http://www.upgradedomacaco.com.br/
Esqueleto Coletivo; http://www.esqueleto.tk/
Midiatatica: http://www.midiatatica.org/
MediaSana: http://www.mediasana.org/
Surface Tension:
http://www.errantbodies.org/labelle.html
http://www.errantbodies.org/surfacetension.html
Chico Mello: http://www.timescraper.de/katalog/CMKat.html
Horror Business: http://www.horrorbiz.de/

DebianBrasil: GUD/PR/Eventos/Embap2005 (last edited 2014-11-11 17:11:41 by PauloSantana)